tesa reforça importância da flexografia na CIF 2021

A tesa é um player global na indústria flexografia e outros mercados, e estará novamente na Conferência Intercontinental de Flexografia 2021 para falar sobre novas tecnologias e novos conceitos. A fabricante de fitas vem olhando os processos atuais e pensando como pode torná-los mais eficientes e automatizados, visando agilizar o trabalho dos operadores.

A palestra será com Steffen Ebenau, Gerente Internacional de produto Flexográfico da TESA SE, com o tema:  Soluções de montagem de placas para uma maior automatização.

Fernando Freitas, Sales Manager Mercosur e Direct Growth Market da tesa, relata: “A CIF se consagrou ao longo do tempo como um dos eventos mais importante do setor. É uma feira bianual que sempre traz inovações, cases de sucesso, novos produtos e fornecedores, palestras com temas sempre atuais e que enriquece e amplia a qualidade do no nosso setor de embalagens flexíveis”.

O executivo relata que a expectativa para o evento é de sucesso. “Mesmo sendo um evento digital, sem o calor da presença do público ao vivo, esperamos um comparecimento em massa. Nossa experiência com o digital tem nos mostrado que apesar de retirar as possibilidades que um contato presencial proporciona, essa modalidade amplia o alcance e aquelas pessoas que por algum motivo não poderiam estar presentes no evento presencial, agora podem participar virtualmente”.

A tesa vem ampliando seu portfólio a cada ano e isso tem trazido um resultado muito importante para a companhia. A cada ano que passa a tesa busca atingir de forma mais assertiva a necessidade dos seus mercado de atuação, sempre pensando de forma global, mas com foco regional.

Por isso todas as regiões do globo são fundamentais para a companhia e quando o tópico é América Latina, a tesa sempre enxerga como um mercado promissor e com grandes possibilidade de desenvolvimento. “Temos grandes empresas com know-how, com qualidade de impresso e processo excelentes, com vontade de produzir cada vez mais e melhor, focadas em melhoria. E temos também um mercado carente de tudo isso. Solo fértil em ambos os caso para a atuação da tesa”.

A tesa é uma empresa que está focada não somente nos produtos, mas na solução adesiva ideal para cada processo do cliente, relata Fernando Freitas: “Somos reconhecidos pelo mercado como uma empresa de fornecimento de produtos de qualidade, mas também de apoio técnico. Temos inúmeros produtos que foram desenvolvidos para atender as mais diversas necessidades e para o mercado de flexografia posso destacar: as clássicas Softprint 380mic e 500mic para montagem de clichês, a Easysplice que é uma fita patenteada pela tesa para troca automática de bobinas, além de outras soluções voltadas exclusivamente ao convertedor flexo. Dentre todos esses produtos eu destaco as camisas autoadesivas Twinlock, que é uma tecnologia já presente no mercado há algum tempo mas ainda é inovadora e com apelo totalmente verde, uma vez que reduz drasticamente a cadeia de carbono quando comparamos à um sistema comum de colagem de clichês com fitas dupla-face”.

A qualidade foi o que mais fez crescer a flexografia nos últimos anos, destaca Freitas: “Hoje já é possível compará-la de igual pra igual com uma impressão em rotogravura pois em muitos casos a flexo supera. Não é a toa que ela vem aumentando sua participação no mercado frente a outros tipos de impressão. Um tempo atrás recebemos a visita de nosso especialista global em flexografia vindo da Alemanha e tivemos a oportunidade de visitar clientes de ponta no Brasil e ele encontrou trabalhos sendo impressos em lineatura superior a que ele já tinha visto na Europa. A grande questão é que o Brasil é muito grande e existe um abismo entre as empresas. No nosso país é possível encontrar convertedores imprimindo com 100 linhas e testando 120 linhas ao mesmo tempo em que outras empresas não conseguem passar de 48 linhas”, reforça.